Notícias Fecomercio

5 de setembro de 2017

Sucessão empresarial precisa ser planejada e buscar inovação


Aptidão para liderança e conceitos éticos são características que devem ser observadas no futuro gestor da empresa

As empresas precisam inovar nos negócios para se manter em atividade. Com o passar dos anos, é comum os gestores se esforçarem para manter o patamar alcançado, evitando, por vezes, mudanças que trariam novas perspectivas. Contudo, há uma realidade inadiável: a necessidade de planejar a sucessão familiar à frente do negócio.

Esse processo deve ser feito de forma planejada, buscando a profissionalização da gestão. A sucessão definitiva costuma demorar alguns anos, mas o primeiro passo é identificar o perfil do eventual sucessor.

Nas companhias familiares, há o risco de se escolher alguém na linha sucessória, mas algumas características devem ser observadas, como a aptidão para liderança e conceitos éticos, bem como a capacidade para lidar com uma estrutura em andamento, com valores, cultura e processos internos definidos.

O sucessor também deve possuir formação adequada em finanças e gestão empresarial, além de personalidade que se encaixe à cultura atual da companhia a fim de que conflitos de gestão sejam evitados.

Como a escolha do próximo gestor não é uma tarefa simples, algumas corporações contratam consultorias que desenham o projeto com base na análise do negócio, considerando os requisitos necessários do sucessor, os objetivos e as estratégias para alcançar os resultados desejados. Essa opção reduz o envolvimento emocional na escolha, diminuindo as possibilidades de conflitos internos.

Após essa etapa, o projeto de sucessão poderá ocorrer sob a supervisão do dono da empresa ou por meio de um consultor que se tornará um executivo por prazo determinado. Confira a reportagem completa aqui.

Voltar para Notícias