Notícias Fecomercio

18 de abril de 2019

Comércio eletrônico brasileiro esbarra em dificuldades tributárias e logísticas na integração dos canais de venda


Questões jurídicas e logísticas são alguns dos entraves que o varejo enfrenta para unir os canais de vendas

Para fidelizar e atrair novos clientes no e-commerce, é necessário tornar a experiência da compra confortável, segura e eficiente, uma vez que, atualmente, o diferencial da empresa não está apenas no preço, mas também na qualidade de todo o serviço prestado. Embora pareça óbvio atender a esses fatores, os empresários do comércio eletrônico esbarram nas mais diversas dificuldades que atrapalham o desenvolvimento desse mercado.

De acordo com a assessoria técnica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), um dos principais desafios do comércio eletrônico no Brasil é a integração de todos os canais de venda – loja física, site, aplicativos, catálogos, etc. Quando bem empregada, essa estratégia, conhecida como omnichannel possibilita sintonizar as operações de maneira que o cliente tenha uma experiência única de compra e não sinta diferença em relação aos produtos, preços e atendimento ofertados no estabelecimento comercial e nos demais canais. Isso ocorre por exemplo, quando o consumidor, estando dentro da loja, consegue consultar os preços e a disponibilidade de um produto por meio de um aplicativo, podendo adquiri-lo na própria loja nas mesmas condições.

Em geral, o que dificulta a integração entre os ambientes físico e virtual são problemas de logística e questões jurídicas. Este último item, em especial, é o mais crítico. Embora a legislação tributária brasileira seja vasta e imponha diversas obrigações acessórias às empresas, não houve a modernização adequada ao avanço tecnológico, o que muitas vezes inibe o investimento em inovação e atrasa o desenvolvimento do comércio eletrônico no Brasil em comparação com outros países como Estados Unidos e Japão. Basta observar que a matriz do sistema tributário, especificamente a legislação do ICMS, remonta à Constituição Federal de 1988 – a internet só chegaria ao Brasil dois anos depois.

A logística é outro ponto importante que pode tornar a compra online problemática e tem relação direta com a maneira como o parceiro logístico escolhido pela empresa operacionaliza as entregas. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias